11 3721-5317 | 11 98822-6266

Author Instituto Espaço de Vida

A dermatite atópica (DA) é o tipo mais comum de eczema. É uma condição crônica que pode ir e vir por anos ou ao longo da vida e pode se sobrepor a outros tipos de eczema.

A doença é causada por uma anomalia no sistema imunológico que desencadeia um processo inflamatório e reduz a funcionalidade da barreira que protege a pele, o que permite a entrada de micróbios e substâncias no organismo que provocam reações alérgicas.

Com a dermatite atópica, muitas vezes há “um ciclo vicioso de coceira, arranhões e mais coceira que inflama ainda mais o sistema imunológico e danifica ainda mais a barreira da pele”.

A dermatite pode ter um enorme impacto na qualidade de vida não apenas do paciente, mas da família e dos amigos.

Embora não haja cura – ainda – e a DA possa ser difícil de tratar, os tratamentos estão evoluindo muito e há novos tratamentos e abordagens inovadoras que podem trazer um excelente controle da doença.

Em pessoas com DA, por razões complexas que a ciência ainda não resolveu, o sistema imunológico torna-se desordenado e hiperativo. Isso desencadeia uma inflamação que danifica a barreira da pele, deixando-a seca e propensa a coceiras e erupções cutâneas que podem ter tonalidade roxa, marrom ou acinzentada em tons de pele mais escuros e vermelho em tons de pele mais claros.

Pesquisas mostram que algumas pessoas com eczema, especialmente dermatite atópica, têm uma mutação do gene responsável pela criação da filagrina. A filagrina é uma proteína que ajuda nossos corpos a manter uma barreira protetora saudável na camada superior da pele. Sem filagrina suficiente para construir uma forte barreira cutânea, a umidade pode escapar e bactérias, vírus e outros podem entrar. É por isso que muitas pessoas com DA têm a pele muito seca e propensa a infecções.

A coceira é a marca registrada da DA, com alguns dados mostrando que mais de 85% das pessoas com a condição experimentam esse sintoma angustiante todos os dias. Pele dolorida ou dolorida e falta de sono causada pela coceira também são comuns.

Pessoas com DA podem ter erupções cutâneas em qualquer parte do corpo que podem escorrer, derramar fluido e sangrar quando arranhadas, tornando a pele vulnerável a infecções. A pele pode ficar seca e descolorida, e arranhões repetidos podem causar espessamento e endurecimento – um processo chamado liquenificação.

O diagnóstico da dermatite atópica é baseado em critérios específicos que levam em conta a história do paciente e as manifestações clínicas.

O médico irá avaliar os sintomas e o grau de gravidade para definir se o paciente tem ou não dermatite atópica. O diagnóstico da doença não requer testes invasivos.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS GATILHOS DA COCEIRA NA DERMATITE ATÓPICA?
É fundamental lembrar-se de que o paciente com dermatite atópica apresenta a barreira cutânea defeituosa e a pele sensível a diversos estímulos. Os principais gatilhos da doença incluem: banhos quentes e prolongados, uso excessivo de sabonetes, banhos em piscina com cloro, uso de emolientes inadequados, ar-condicionado, poluição e baixa umidade do ar, fricção da pele, medicações, estresse, produtos químicos e nutrição (dietas de exclusão).

HÁ MAIOR SUSCETIBILIDADE ÀS INFECÇÕES DA PELE PARA A DERMATITE ATÓPICA?
Sim pois o desequilíbrio imunológico pode contribuir para o aumento de infecções bacterianas e virais em pacientes com dermatite atópica e as lesões de pele funcionam como porta de entrada para os agentes infecciosos.

É muito importante prestar atenção nos sinais e sintomas da dermatite atópica que estejam afetando sua vida, como por exemplo:
• Dificuldades para dormir por conta do desconforto causado pelos sintomas
• Lesões e coceira constante na pele
• Sintomas de ansiedade e depressão
• Isolamento social ou dificuldades para realização de atividades diárias
• Redução na produtividade, no trabalho ou na escola

O tratamento da dermatite atópica visa restabelecer a barreira cutânea, que inclui hidratação e reparação da pele, limitando a coceira e diminuindo a inflamação, quando possível. Portanto, um tratamento bem-sucedido requer abordagem multiterapêutica, que envolve educação do paciente, boas práticas de cuidados da pele, entre outros.

Quando a DA é leve, o manejo pode incluir:
• Evitar gatilhos conhecidos
• Manter uma rotina regular de banho e hidratação, para proteger e fortalecer a barreira da pele
• Sono de alta qualidade
• Antihistaminicos
• Comer uma dieta saudável
• Controlar o estresse

Se esses métodos não forem suficientes, outros tratamentos incluem:
• Corticosteroides tópicos
• Tópicos não esteroides
• Medicamentos biológicos

OS TRATAMENTOS PARA DERMATITE ATÓPICA

TRATAMENTOS TÓPICOS
São medicamentos aplicados na pele para controlar os sintomas e reduzir a inflamação. Os mais comuns incluem esteróides prescritos em diferentes potencias. Há também inibidores de calcineurina, inibidores de PDE4 e inibidores de Janus quinase (JAK).

Inibidores tópicos de calcineurina (TCIs)
Os inibidores tópicos de calcineurina (TCIs) são medicamentos não esteroides que funcionam impedindo que certas células do sistema imunológico “liguem”, prevenindo sintomas como vermelhidão, coceira e inflamação.

Dois TCIs estão disponíveis para uso em eczema, pomada de tacrolimus (Protopic® e opções genéricas) e creme de pimecrolimus.
Os TCIs podem ser aplicados em todas as áreas afetadas da pele, incluindo áreas de pele delicada ou mais fina, como face, pálpebras, genitais ou dobras cutâneas, onde o uso de esteróides tópicos a curto ou longo prazo pode não ser preferido. Os TCIs podem ser usados ​​por longos períodos de tempo para controlar os sintomas e reduzir as crises. Os efeitos colaterais comuns com os TCIs incluem uma leve sensação de queimação ou picada quando o medicamento é aplicado pela primeira vez na pele.

Esteróides
Os esteróides são substâncias naturais que nosso corpo produz para regular o crescimento e a função imunológica. Os corticosteróides têm sido usados ​​por mais de 60 anos em medicamentos tópicos para tratar muitos tipos de condições inflamatórias da pele, incluindo eczema. Os esteróides tópicos são usados ​​para dermatite atópica em adultos e crianças.
Existem vários tipos diferentes de esteróides tópicos, bem como diferentes concentrações .

NOVAS TERAPIAS BIOLÓGICAS

COMO AS TERAPIAS BIOLÓGICAS FUNCIONAM NO CORPO PARA COMBATER A DERMATITE ATÓPICA?
A dermatite atópica é causada, em parte, por um sistema imunológico hiperativo, que desencadeia moléculas inflamatórias chamadas citocinas – em particular, a citocina interleucina-4 (IL-4) e interleucina-13 (IL-13) – quando detecta certos irritantes

Em termos médicos, os biológicos são medicamentos muito “direcionados”, o que significa que funcionam concentrando-se em moléculas específicas no corpo responsáveis ​​por desencadear a inflamação.

Os medicamentos biológicos revolucionaram o tratamento de vários distúrbios dermatológicos. Enquanto alguns outros medicamentos reduzem a inflamação de maneira ampla, esses medicamentos funcionam visando moléculas específicas no corpo.

RINVOQ® (upadacitinibe)
Rinvoq® foi aprovado pela ANVISA em maio de 2022. É um medicamento oral inibidor seletivo e reversível de Janus Kinase 1 (JAK1) para o tratamento de dermatite atópica (DA) moderada a grave em adultos e crianças com 12 anos de idade ou mais, candidatos à terapia sistêmica.
No caso da dermatite atópica, ao inibir a ação da JAK 1, o medicamento modula a ação das substâncias envolvidas no processo inflamatório, interrompendo o ciclo da doença desde o início.

A família JAK tem quatro membros – os inibidores JAK podem ter como alvo um ou mais desses membros da família para bloquear esses sinais imunológicos e inibir o efeito inflamatório das principais citocinas envolvidas na DA. Rinvoq funciona bloqueando seletivamente a JAK1, resultando na melhora dos sinais e sintomas da DA.

DUPIXENT®(dupilumabe)
Dupixent® é um agente imunorregulador direcionado que inibe de maneira seletiva e simultânea a sinalização da IL-4 e IL-13, bloqueando o componente compartilhado obrigatório do complexo do receptor de IL-4/IL-13. Em outras palavras, é um anticorpo monoclonal, um clone da célula de defesa humana alterada para inibir a ação de substancias envolvidas no desenvolvimento da doença.

Destina-se a inibir os principais fatores desencadeantes da doença para obter benefício clínico sem os efeitos colaterais comumente observados com os imunossupressores sistêmicos não seletivos existentes.

Foi a primeira terapia biológica aprovada para pacientes adultos e adolescentes com DA e agora também foi demonstrado um perfil de benefício-risco positivo no tratamento da dermatite atópica em crianças a partir dos 6 anos de idade.

É indicado para o tratamento de crianças a partir de 6anos de idade, adolescentes e adultos com dermatite atópica grave cuja doença não é adequadamente controlada com tratamentos tópicos ou quando estes tratamentos não são aconselhados. Pode ser utilizado com ou sem corticosteroide tópico. Sua administração é feita por injeção subcutânea.

Nos EUA o medicamento esta aprovado pelo FDA para o tratamento de crianças com dermatite atópica moderada ou severa a partir de 6 meses de idade. É o primeiro medicamento biológico aprovado para essa faixa etária.

OLUMIANT® (baricitinibe)
Olumiant® é um medicamento oral, inibidor das Janus Quinase (JAK), indicado para o tratamento de pacientes adultos com dermatite atópica moderada a grave, que são candidatos a terapia sistêmica.

CIBINQO®(abrocitinibe)
CIBINQO® é um medicamento oral, inibidor da Janus Quinase (JAK) indicado para o tratamento de adultos com dermatite atópica refratária moderada a grave cuja doença não é controlada adequadamente com outros medicamentos sistêmicos, incluindo biológicos, ou quando o uso dessas terapias é desaconselhável.

Cibinqo® pode ajudar a aliviar o sintoma característico da coceira intensa e demonstrou melhorias rápidas na limpeza da pele, extensão e gravidade da doença.

Foi aprovado na Comunidade Européia em dezembro de 2021 e nos Estados Unidos em janeiro de 2022. O medicamento encontra-se em processo de registro no Brasil.

A dermatite atópica (DA) é o tipo mais comum de eczema. É uma condição crônica que pode ir e vir por anos ou ao longo da vida e pode se sobrepor a outros tipos de eczema.

A doença é causada por uma anomalia no sistema imunológico que desencadeia um processo inflamatório e reduz a funcionalidade da barreira que protege a pele, o que permite a entrada de micróbios e substâncias no organismo que provocam reações alérgicas.

Com a dermatite atópica, muitas vezes há “um ciclo vicioso de coceira, arranhões e mais coceira que inflama ainda mais o sistema imunológico e danifica ainda mais a barreira da pele”.

A dermatite pode ter um enorme impacto na qualidade de vida não apenas do paciente, mas da família e dos amigos.

Embora não haja cura – ainda – e a DA possa ser difícil de tratar, os tratamentos estão evoluindo muito e há novos tratamentos e abordagens inovadoras que podem trazer um excelente controle da doença.

Em pessoas com DA, por razões complexas que a ciência ainda não resolveu, o sistema imunológico torna-se desordenado e hiperativo. Isso desencadeia uma inflamação que danifica a barreira da pele, deixando-a seca e propensa a coceiras e erupções cutâneas que podem ter tonalidade roxa, marrom ou acinzentada em tons de pele mais escuros e vermelho em tons de pele mais claros.

Pesquisas mostram que algumas pessoas com eczema, especialmente dermatite atópica, têm uma mutação do gene responsável pela criação da filagrina. A filagrina é uma proteína que ajuda nossos corpos a manter uma barreira protetora saudável na camada superior da pele. Sem filagrina suficiente para construir uma forte barreira cutânea, a umidade pode escapar e bactérias, vírus e outros podem entrar. É por isso que muitas pessoas com DA têm a pele muito seca e propensa a infecções.

A coceira é a marca registrada da DA, com alguns dados mostrando que mais de 85% das pessoas com a condição experimentam esse sintoma angustiante todos os dias. Pele dolorida ou dolorida e falta de sono causada pela coceira também são comuns.

Pessoas com DA podem ter erupções cutâneas em qualquer parte do corpo que podem escorrer, derramar fluido e sangrar quando arranhadas, tornando a pele vulnerável a infecções. A pele pode ficar seca e descolorida, e arranhões repetidos podem causar espessamento e endurecimento – um processo chamado liquenificação.

O diagnóstico da dermatite atópica é baseado em critérios específicos que levam em conta a história do paciente e as manifestações clínicas.

O médico irá avaliar os sintomas e o grau de gravidade para definir se o paciente tem ou não dermatite atópica. O diagnóstico da doença não requer testes invasivos.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS GATILHOS DA COCEIRA NA DERMATITE ATÓPICA?
É fundamental lembrar-se de que o paciente com dermatite atópica apresenta a barreira cutânea defeituosa e a pele sensível a diversos estímulos. Os principais gatilhos da doença incluem: banhos quentes e prolongados, uso excessivo de sabonetes, banhos em piscina com cloro, uso de emolientes inadequados, ar-condicionado, poluição e baixa umidade do ar, fricção da pele, medicações, estresse, produtos químicos e nutrição (dietas de exclusão).

HÁ MAIOR SUSCETIBILIDADE ÀS INFECÇÕES DA PELE PARA A DERMATITE ATÓPICA?
Sim pois o desequilíbrio imunológico pode contribuir para o aumento de infecções bacterianas e virais em pacientes com dermatite atópica e as lesões de pele funcionam como porta de entrada para os agentes infecciosos.

É muito importante prestar atenção nos sinais e sintomas da dermatite atópica que estejam afetando sua vida, como por exemplo:
• Dificuldades para dormir por conta do desconforto causado pelos sintomas
• Lesões e coceira constante na pele
• Sintomas de ansiedade e depressão
• Isolamento social ou dificuldades para realização de atividades diárias
• Redução na produtividade, no trabalho ou na escola

O tratamento da dermatite atópica visa restabelecer a barreira cutânea, que inclui hidratação e reparação da pele, limitando a coceira e diminuindo a inflamação, quando possível. Portanto, um tratamento bem-sucedido requer abordagem multiterapêutica, que envolve educação do paciente, boas práticas de cuidados da pele, entre outros.

Quando a DA é leve, o manejo pode incluir:
• Evitar gatilhos conhecidos
• Manter uma rotina regular de banho e hidratação, para proteger e fortalecer a barreira da pele
• Sono de alta qualidade
• Antihistaminicos
• Comer uma dieta saudável
• Controlar o estresse

Se esses métodos não forem suficientes, outros tratamentos incluem:
• Corticosteroides tópicos
• Tópicos não esteroides
• Medicamentos biológicos

OS TRATAMENTOS PARA DERMATITE ATÓPICA

TRATAMENTOS TÓPICOS
São medicamentos aplicados na pele para controlar os sintomas e reduzir a inflamação. Os mais comuns incluem esteróides prescritos em diferentes potencias. Há também inibidores de calcineurina, inibidores de PDE4 e inibidores de Janus quinase (JAK).

Inibidores tópicos de calcineurina (TCIs)
Os inibidores tópicos de calcineurina (TCIs) são medicamentos não esteroides que funcionam impedindo que certas células do sistema imunológico “liguem”, prevenindo sintomas como vermelhidão, coceira e inflamação.

Dois TCIs estão disponíveis para uso em eczema, pomada de tacrolimus (Protopic® e opções genéricas) e creme de pimecrolimus.
Os TCIs podem ser aplicados em todas as áreas afetadas da pele, incluindo áreas de pele delicada ou mais fina, como face, pálpebras, genitais ou dobras cutâneas, onde o uso de esteróides tópicos a curto ou longo prazo pode não ser preferido. Os TCIs podem ser usados ​​por longos períodos de tempo para controlar os sintomas e reduzir as crises. Os efeitos colaterais comuns com os TCIs incluem uma leve sensação de queimação ou picada quando o medicamento é aplicado pela primeira vez na pele.

Esteróides
Os esteróides são substâncias naturais que nosso corpo produz para regular o crescimento e a função imunológica. Os corticosteróides têm sido usados ​​por mais de 60 anos em medicamentos tópicos para tratar muitos tipos de condições inflamatórias da pele, incluindo eczema. Os esteróides tópicos são usados ​​para dermatite atópica em adultos e crianças.
Existem vários tipos diferentes de esteróides tópicos, bem como diferentes concentrações .

NOVAS TERAPIAS BIOLÓGICAS

COMO AS TERAPIAS BIOLÓGICAS FUNCIONAM NO CORPO PARA COMBATER A DERMATITE ATÓPICA?
A dermatite atópica é causada, em parte, por um sistema imunológico hiperativo, que desencadeia moléculas inflamatórias chamadas citocinas – em particular, a citocina interleucina-4 (IL-4) e interleucina-13 (IL-13) – quando detecta certos irritantes

Em termos médicos, os biológicos são medicamentos muito “direcionados”, o que significa que funcionam concentrando-se em moléculas específicas no corpo responsáveis ​​por desencadear a inflamação.

Os medicamentos biológicos revolucionaram o tratamento de vários distúrbios dermatológicos. Enquanto alguns outros medicamentos reduzem a inflamação de maneira ampla, esses medicamentos funcionam visando moléculas específicas no corpo.

RINVOQ® (upadacitinibe)
Rinvoq® foi aprovado pela ANVISA em maio de 2022. É um medicamento oral inibidor seletivo e reversível de Janus Kinase 1 (JAK1) para o tratamento de dermatite atópica (DA) moderada a grave em adultos e crianças com 12 anos de idade ou mais, candidatos à terapia sistêmica.
No caso da dermatite atópica, ao inibir a ação da JAK 1, o medicamento modula a ação das substâncias envolvidas no processo inflamatório, interrompendo o ciclo da doença desde o início.

A família JAK tem quatro membros – os inibidores JAK podem ter como alvo um ou mais desses membros da família para bloquear esses sinais imunológicos e inibir o efeito inflamatório das principais citocinas envolvidas na DA. Rinvoq funciona bloqueando seletivamente a JAK1, resultando na melhora dos sinais e sintomas da DA.

DUPIXENT®(dupilumabe)
Dupixent® é um agente imunorregulador direcionado que inibe de maneira seletiva e simultânea a sinalização da IL-4 e IL-13, bloqueando o componente compartilhado obrigatório do complexo do receptor de IL-4/IL-13. Em outras palavras, é um anticorpo monoclonal, um clone da célula de defesa humana alterada para inibir a ação de substancias envolvidas no desenvolvimento da doença.

Destina-se a inibir os principais fatores desencadeantes da doença para obter benefício clínico sem os efeitos colaterais comumente observados com os imunossupressores sistêmicos não seletivos existentes.

Foi a primeira terapia biológica aprovada para pacientes adultos e adolescentes com DA e agora também foi demonstrado um perfil de benefício-risco positivo no tratamento da dermatite atópica em crianças a partir dos 6 anos de idade.

É indicado para o tratamento de crianças a partir de 6anos de idade, adolescentes e adultos com dermatite atópica grave cuja doença não é adequadamente controlada com tratamentos tópicos ou quando estes tratamentos não são aconselhados. Pode ser utilizado com ou sem corticosteroide tópico. Sua administração é feita por injeção subcutânea.

Nos EUA o medicamento esta aprovado pelo FDA para o tratamento de crianças com dermatite atópica moderada ou severa a partir de 6 meses de idade. É o primeiro medicamento biológico aprovado para essa faixa etária.

OLUMIANT® (baricitinibe)
Olumiant® é um medicamento oral, inibidor das Janus Quinase (JAK), indicado para o tratamento de pacientes adultos com dermatite atópica moderada a grave, que são candidatos a terapia sistêmica.

CIBINQO®(abrocitinibe)
CIBINQO® é um medicamento oral, inibidor da Janus Quinase (JAK) indicado para o tratamento de adultos com dermatite atópica refratária moderada a grave cuja doença não é controlada adequadamente com outros medicamentos sistêmicos, incluindo biológicos, ou quando o uso dessas terapias é desaconselhável.

Cibinqo® pode ajudar a aliviar o sintoma característico da coceira intensa e demonstrou melhorias rápidas na limpeza da pele, extensão e gravidade da doença.

Foi aprovado na Comunidade Européia em dezembro de 2021 e nos Estados Unidos em janeiro de 2022. O medicamento encontra-se em processo de registro no Brasil.

O que é?

A dermatite atópica (DA) é o tipo mais comum de eczema. É uma condição crônica que pode ir e vir por anos ou ao longo da vida e pode se sobrepor a outros tipos de eczema.

A doença é causada por uma anomalia no sistema imunológico que desencadeia um processo inflamatório e reduz a funcionalidade da barreira que protege a pele, o que permite a entrada de micróbios e substâncias no organismo que provocam reações alérgicas.

Com a dermatite atópica, muitas vezes há “um ciclo vicioso de coceira, arranhões e mais coceira que inflama ainda mais o sistema imunológico e danifica ainda mais a barreira da pele”.

A dermatite pode ter um enorme impacto na qualidade de vida não apenas do paciente, mas da família e dos amigos.

Embora não haja cura – ainda – e a DA possa ser difícil de tratar, os tratamentos estão evoluindo muito e há novos tratamentos e abordagens inovadoras que podem trazer um excelente controle da doença.

Em pessoas com DA, por razões complexas que a ciência ainda não resolveu, o sistema imunológico torna-se desordenado e hiperativo. Isso desencadeia uma inflamação que danifica a barreira da pele, deixando-a seca e propensa a coceiras e erupções cutâneas que podem ter tonalidade roxa, marrom ou acinzentada em tons de pele mais escuros e vermelho em tons de pele mais claros.

Pesquisas mostram que algumas pessoas com eczema, especialmente dermatite atópica, têm uma mutação do gene responsável pela criação da filagrina. A filagrina é uma proteína que ajuda nossos corpos a manter uma barreira protetora saudável na camada superior da pele. Sem filagrina suficiente para construir uma forte barreira cutânea, a umidade pode escapar e bactérias, vírus e outros podem entrar. É por isso que muitas pessoas com DA têm a pele muito seca e propensa a infecções.

Sintomas

A coceira é a marca registrada da DA, com alguns dados mostrando que mais de 85% das pessoas com a condição experimentam esse sintoma angustiante todos os dias. Pele dolorida ou dolorida e falta de sono causada pela coceira também são comuns.

Pessoas com DA podem ter erupções cutâneas em qualquer parte do corpo que podem escorrer, derramar fluido e sangrar quando arranhadas, tornando a pele vulnerável a infecções. A pele pode ficar seca e descolorida, e arranhões repetidos podem causar espessamento e endurecimento – um processo chamado liquenificação.

Diagnóstico

O diagnóstico da dermatite atópica é baseado em critérios específicos que levam em conta a história do paciente e as manifestações clínicas.

O médico irá avaliar os sintomas e o grau de gravidade para definir se o paciente tem ou não dermatite atópica. O diagnóstico da doença não requer testes invasivos.

Fatores desencadeantes

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS GATILHOS DA COCEIRA NA DERMATITE ATÓPICA?
É fundamental lembrar-se de que o paciente com dermatite atópica apresenta a barreira cutânea defeituosa e a pele sensível a diversos estímulos. Os principais gatilhos da doença incluem: banhos quentes e prolongados, uso excessivo de sabonetes, banhos em piscina com cloro, uso de emolientes inadequados, ar-condicionado, poluição e baixa umidade do ar, fricção da pele, medicações, estresse, produtos químicos e nutrição (dietas de exclusão).

HÁ MAIOR SUSCETIBILIDADE ÀS INFECÇÕES DA PELE PARA A DERMATITE ATÓPICA?
Sim pois o desequilíbrio imunológico pode contribuir para o aumento de infecções bacterianas e virais em pacientes com dermatite atópica e as lesões de pele funcionam como porta de entrada para os agentes infecciosos.

Tratamento

É muito importante prestar atenção nos sinais e sintomas da dermatite atópica que estejam afetando sua vida, como por exemplo:
• Dificuldades para dormir por conta do desconforto causado pelos sintomas
• Lesões e coceira constante na pele
• Sintomas de ansiedade e depressão
• Isolamento social ou dificuldades para realização de atividades diárias
• Redução na produtividade, no trabalho ou na escola

O tratamento da dermatite atópica visa restabelecer a barreira cutânea, que inclui hidratação e reparação da pele, limitando a coceira e diminuindo a inflamação, quando possível. Portanto, um tratamento bem-sucedido requer abordagem multiterapêutica, que envolve educação do paciente, boas práticas de cuidados da pele, entre outros.

Quando a DA é leve, o manejo pode incluir:
• Evitar gatilhos conhecidos
• Manter uma rotina regular de banho e hidratação, para proteger e fortalecer a barreira da pele
• Sono de alta qualidade
• Antihistaminicos
• Comer uma dieta saudável
• Controlar o estresse

Se esses métodos não forem suficientes, outros tratamentos incluem:
• Corticosteroides tópicos
• Tópicos não esteroides
• Medicamentos biológicos

OS TRATAMENTOS PARA DERMATITE ATÓPICA

TRATAMENTOS TÓPICOS
São medicamentos aplicados na pele para controlar os sintomas e reduzir a inflamação. Os mais comuns incluem esteróides prescritos em diferentes potencias. Há também inibidores de calcineurina, inibidores de PDE4 e inibidores de Janus quinase (JAK).

Inibidores tópicos de calcineurina (TCIs)
Os inibidores tópicos de calcineurina (TCIs) são medicamentos não esteroides que funcionam impedindo que certas células do sistema imunológico “liguem”, prevenindo sintomas como vermelhidão, coceira e inflamação.

Dois TCIs estão disponíveis para uso em eczema, pomada de tacrolimus (Protopic® e opções genéricas) e creme de pimecrolimus.
Os TCIs podem ser aplicados em todas as áreas afetadas da pele, incluindo áreas de pele delicada ou mais fina, como face, pálpebras, genitais ou dobras cutâneas, onde o uso de esteróides tópicos a curto ou longo prazo pode não ser preferido. Os TCIs podem ser usados ​​por longos períodos de tempo para controlar os sintomas e reduzir as crises. Os efeitos colaterais comuns com os TCIs incluem uma leve sensação de queimação ou picada quando o medicamento é aplicado pela primeira vez na pele.

Esteróides
Os esteróides são substâncias naturais que nosso corpo produz para regular o crescimento e a função imunológica. Os corticosteróides têm sido usados ​​por mais de 60 anos em medicamentos tópicos para tratar muitos tipos de condições inflamatórias da pele, incluindo eczema. Os esteróides tópicos são usados ​​para dermatite atópica em adultos e crianças.
Existem vários tipos diferentes de esteróides tópicos, bem como diferentes concentrações .

NOVAS TERAPIAS BIOLÓGICAS

COMO AS TERAPIAS BIOLÓGICAS FUNCIONAM NO CORPO PARA COMBATER A DERMATITE ATÓPICA?
A dermatite atópica é causada, em parte, por um sistema imunológico hiperativo, que desencadeia moléculas inflamatórias chamadas citocinas – em particular, a citocina interleucina-4 (IL-4) e interleucina-13 (IL-13) – quando detecta certos irritantes

Em termos médicos, os biológicos são medicamentos muito “direcionados”, o que significa que funcionam concentrando-se em moléculas específicas no corpo responsáveis ​​por desencadear a inflamação.

Os medicamentos biológicos revolucionaram o tratamento de vários distúrbios dermatológicos. Enquanto alguns outros medicamentos reduzem a inflamação de maneira ampla, esses medicamentos funcionam visando moléculas específicas no corpo.

RINVOQ® (upadacitinibe)
Rinvoq® foi aprovado pela ANVISA em maio de 2022. É um medicamento oral inibidor seletivo e reversível de Janus Kinase 1 (JAK1) para o tratamento de dermatite atópica (DA) moderada a grave em adultos e crianças com 12 anos de idade ou mais, candidatos à terapia sistêmica.
No caso da dermatite atópica, ao inibir a ação da JAK 1, o medicamento modula a ação das substâncias envolvidas no processo inflamatório, interrompendo o ciclo da doença desde o início.

A família JAK tem quatro membros – os inibidores JAK podem ter como alvo um ou mais desses membros da família para bloquear esses sinais imunológicos e inibir o efeito inflamatório das principais citocinas envolvidas na DA. Rinvoq funciona bloqueando seletivamente a JAK1, resultando na melhora dos sinais e sintomas da DA.

DUPIXENT®(dupilumabe)
Dupixent® é um agente imunorregulador direcionado que inibe de maneira seletiva e simultânea a sinalização da IL-4 e IL-13, bloqueando o componente compartilhado obrigatório do complexo do receptor de IL-4/IL-13. Em outras palavras, é um anticorpo monoclonal, um clone da célula de defesa humana alterada para inibir a ação de substancias envolvidas no desenvolvimento da doença.

Destina-se a inibir os principais fatores desencadeantes da doença para obter benefício clínico sem os efeitos colaterais comumente observados com os imunossupressores sistêmicos não seletivos existentes.

Foi a primeira terapia biológica aprovada para pacientes adultos e adolescentes com DA e agora também foi demonstrado um perfil de benefício-risco positivo no tratamento da dermatite atópica em crianças a partir dos 6 anos de idade.

É indicado para o tratamento de crianças a partir de 6anos de idade, adolescentes e adultos com dermatite atópica grave cuja doença não é adequadamente controlada com tratamentos tópicos ou quando estes tratamentos não são aconselhados. Pode ser utilizado com ou sem corticosteroide tópico. Sua administração é feita por injeção subcutânea.

Nos EUA o medicamento esta aprovado pelo FDA para o tratamento de crianças com dermatite atópica moderada ou severa a partir de 6 meses de idade. É o primeiro medicamento biológico aprovado para essa faixa etária.

OLUMIANT® (baricitinibe)
Olumiant® é um medicamento oral, inibidor das Janus Quinase (JAK), indicado para o tratamento de pacientes adultos com dermatite atópica moderada a grave, que são candidatos a terapia sistêmica.

CIBINQO®(abrocitinibe)
CIBINQO® é um medicamento oral, inibidor da Janus Quinase (JAK) indicado para o tratamento de adultos com dermatite atópica refratária moderada a grave cuja doença não é controlada adequadamente com outros medicamentos sistêmicos, incluindo biológicos, ou quando o uso dessas terapias é desaconselhável.

Cibinqo® pode ajudar a aliviar o sintoma característico da coceira intensa e demonstrou melhorias rápidas na limpeza da pele, extensão e gravidade da doença.

Foi aprovado na Comunidade Européia em dezembro de 2021 e nos Estados Unidos em janeiro de 2022. O medicamento encontra-se em processo de registro no Brasil.

Apoio
Outras questões:

QUAL É A PREVALÊNCIA?
A dermatite atópica afeta 7% da população adulta e 25% das crianças no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

QUEM DESENVOLVE DA E POR QUÊ?
A dermatite atópica geralmente começa na infância, geralmente nos primeiros seis meses de vida do bebê. Embora seja uma forma comum de eczema, também é grave e duradoura. Quando você ou seu filho tem dermatite atópica, às vezes pode melhorar; mas em outros momentos, pode piorar. Em algumas crianças, os sintomas podem diminuir à medida que crescem, enquanto outras crianças terão crises de dermatite atópica na idade adulta.

A dermatite atópica existe com duas outras condições alérgicas: asma e febre do feno (rinite alérgica). Pessoas que têm asma e/ou febre do feno ou que têm familiares que têm, são mais propensas a desenvolver DA.

Felizmente, até 70% das crianças com dermatite atópica entrarão em remissão clínica antes da adolescência.

A DERMATITE ATÓPICA TEM CURA?
A dermatite atópica é uma doença crônica. Ela pode ser controlada, mas não tem cura.
As boas notícias? Os dermatologistas têm uma ampla gama de medicamentos que podem ajudar a tratar a dermatite atópica. O tipo mais recente em seu arsenal são os medicamentos biológicos, que podem ajudar a conter a inflamação e melhorar muito a qualidade de vida dos pacientes.

A IMPORTÂNCIA DA HIDRATAÇÃO DA PELE
A hidratação é muito importante para quem sofre de dermatite atópica, uma vez que a maior parte das pessoas nessa condição tem a pele seca.

Dicas simples e eficazes:
• É importante tomar banhos rápidos, não muito quentes, com pouca aplicação de sabonete.
• Existem os Syndets, que são detergentes sintéticos que não modificam o pH em alérgicos. Há vários produtos com essa tecnologia. Certifique-se de que esta escrito Syndet e o pH deve ser em torno de 5. Eucerin em Barra pH5, a linha Baby Dove, linha Johnson Baby, linha Cetaphyl são alguns dos disponíveis.
• Faça a hidratação da pele com um creme hidratante neutro. Prefira cremes por serem mais densos que loções.
• Não use nenhum tipo de bucha
• Não use receitas caseiras – consulte sempre eu médico
• Não use nenhum tipo de antibiótico em pó pois a pele pode ficar sensibilizada
• Na lavagem das roupas prefira sabão de coco. E não use amaciante.
• Prefira as roupas de algodão
• Perfumes e loções podem desencadear uma reação alérgica. Nossa sugestão é aplicar o perfume na roupa (a não ser que você tenha sensibilidade ao perfume)
• Outro cuidado é o de fortalecer a barreira da pele, ou seja, evitar seu contato com a poeira, pólen, sabonetes com perfume, produtos de limpeza doméstica e tabaco, que são agentes que podem desencadear uma crise.

Doenças

Veja também:
Read More

As crianças começam a entender o mundo à sua volta desde muito cedo. É importante ser honesto com eles sobre o ente querido e o câncer

Algumas reações comuns das crianças são:

  • Sentem-se confusas, irritadas, solitárias, culpadas ou oprimidas
  • Agem com medo ou insegurança sobre como devem se comportar perto do ente querido.
  • Agem de forma grudenta ou sentem falta da atenção que estão acostumados a receber.

Relação com amigos :

As crianças precisam saber a verdade sobre seu ente querido. Caso contrário, eles vão pensar o pior. Entenda as ações e sentimentos deles, e também, saiba como você se sente.

Algumas dicas para conversar com crianças:

  • Fale sobre o câncer. Deixe-os saber que não há nada que eles fizeram para causar câncer. E eles não conseguem pegá-lo de outra pessoa.
  • Deixe que eles saibam que seus sentimentos são válidos.
  • Diga a eles que você entende que estão chateados, zangados, tristes ou assustados. Lembre-os de que, aconteça o que acontecer, você sempre os amará.
  • Diga-lhes a verdade com amor e esperança. Diga a eles que seu ente querido está recebendo bons cuidados e que você espera que ele ou ela fique bem, mas não tente prometer a eles um bom resultado se não tiver certeza de um.
  • Ouça-os. Pergunte a eles como se sentem e com o que estão preocupados. Se eles são jovens, peça que eles desenhem uma imagem para mostrar como se sentem.
  • Mantenha-se envolvido. Tente passar o tempo com as crianças da maneira que puder. Leve-os para a loja com você ou faça refeições com eles. Pergunte a eles sobre o dia deles. Deixe anotações ou ligue para eles quando puder.
Veja também:
Read More

Como se alimentar bem durante a quarentena?

Ter um estilo de saudável é primordial na prevenção do câncer. Isso pode envolve ter uma alimentação variada e rica em antioxidantes, tais como: frutas roxas e vermelhas, chá verde, no mínimo 3 porções diárias de fruta e 2 de vegetais crus, estes alimentos são fatores de proteção contra o câncer. Uma alimentação baseada em alimentos inatura (orgânicos).

O que não comer:

Carnes processadas;
Alimentos gordurosos;
Dieta pobre em fibras;
Churrasco;
Alimentos com muito sal;
Alimentos defumados;
Alimentos preparados com altas temperaturas;
Refrigerantes;
Alimentos com agrotóxico.

E você, como tem se alimentado neste período de isolamento? Tem praticado atividades físicas? Coloque aqui nos comentários 🙂

Jane Silvério, Nutricionista graduada pelo Centro Universitário Adventista – UNASP

Especialista em Nutrição Clínica e Hospitalar pelo Centro Universitário Senac Santo Amaro – SP . Atendimento humanizado de crianças, adultos e idososExperiência em atendimento ambulatorial na clínica autoestima

Veja também:
Read More

Está com ânsias e enjoos por conta da quimioterapia?

Nós separamos uma receita de ‘Bolinho de Arroz Integral’, leve e fácil de fazer para melhorar os efeitos da quimioterapia.

INGREDIENTES

1 cebola pequena picada

1 dente de alho picado

2 colheres de sopa de azeite

2 ½ xícaras (chá) de arroz integral cozido

1 cenoura ralada

1 colher (chá) de gergelim

1 colher (chá) de sal

1 xícara (chá) de farinha de aveia

2 ovos

1 colher (café) de fermento

Sal e salsinha a gosto

MODO DE PREPARO

Doure a cebola e o alho no azeite. Em uma tigela, misture os outros ingredientes e adicione a cebola e o alho. Com a massa, faça bolinhos. Unte uma forma com azeite, e leve os bolinhos em forno preaquecido por cerca de 25 minutos.

Veja também:
Read More

A reflexologia é de origem chinesa e pode trazer alguns benefícios para a saúde dos pacientes. Essa técnica milenar chinesa ajuda a aliviar dores, além de auxiliar no relaxamento e no sistema imunológico e o melhor: você pode praticá-la em casa sem nenhum custo! A massagem é bem simples, basta você tira os sapatos e começar apertando todo o pé e tornozelos por alguns minutos.

Cada ponto do pé corresponde a um órgão do corpo, que, por sua vez, está relacionado aos sentimentos. Para isso, encontre o ponto certo e o pressione com o polegar em movimentos circulares para sentir os resultados.

Abaixo o mapa das plantas dos pés para você saber quais pontos correspondem a cada órgão do seu corpo:


Foto: jconline.ne10.uol.com.br

Caso queira resultados mais eficazes, procure um especialista e entenda quais são os pontos certos para cada problema.

Veja também:
Read More

“Medicina Integrativa é a prática da medicina que reafirma a importância da relação entre o paciente e o profissional de saúde, é focada na pessoa em seu todo, é informada por evidências e faz uso de todas as abordagens terapêuticas adequadas, profissionais de saúde e disciplinas para obter o melhor da saúde e cura (health and healing). ” – Consortium of Academic Health Centers for Integrative Medicine (www.imconsortium.org).

A medicina integrativa propõe uma parceria do médico e seu paciente para a manutenção da saúde. Começa, assim, por colocar o paciente como ator principal no processo, como seu próprio agente de saúde. O paciente deixa de receber passivamente tratamento para uma doença e passa a participar ativamente da própria saúde. A saúde é, também, uma responsabilidade individual. Nesta parceria a medicina integrativa chama para o cuidado os profissionais de diversas áreas e formações, defendendo que a interdisciplinaridade é essencial para se cuidar da pessoa. Associado ao tratamento da medicina convencional, faz uso dos conhecimentos das medicinas tradicionais, como práticas meditativas, técnicas de respiração, relaxamento, atenção plena, uso de fitoterápicos, sempre baseados em evidências em relação à segurança e eficácia.

Estudos internacionais e brasileiros mostraram que mais de 50% dos pacientes com câncer em tratamento fazem uso de algum tipo de medicina tradicional ou complementar e muitos deles não informam seus médicos com receio de serem criticados. Um dos motivos que leva as pessoas a utilizarem outras formas de tratamento é o desejo de participar ativamente do seu processo de recuperação. Assim, a Medicina Integrativa oferece esta abordagem! No entanto, é fundamental esclarecermos as diferenças entre os termos tradicional, complementar e alternativo.

A medicina dita “tradicional” é aquela que vem sendo utilizada por determinados povos há muito tempo: a medicina tradicional chinesa, por exemplo (acupuntura inclusive), a medicina aiurvédica indiana ou técnicas fitoterápicas de índios brasileiros. Todas baseadas em conhecimentos tradicionais desses povos, e que vêm também sendo estudados pela ciência, com muitos de seus efeitos comprovados.

Alternativo é tudo aquilo que se propõe em contraposição e em substituição ao convencional: usar uma técnica curativa no lugar de outra proposta pelo médico. Mas isso não é medicina integrativa.

A medicina complementar é um conjunto de terapias que são propostas em conjunto com a medicina convencional e não em sua substituição. Como o próprio nome diz, abraça técnicas de alívio e de mudança de postura sem negar o tratamento curativo principal.

A literatura evidencia que as terapias integrativas, dentre elas as práticas mente-corpo como Yoga, meditação e outras técnicas tradicionais como a acupuntura, podem auxiliar no controle de sintomas relacionados ao tratamento do câncer como fadiga, náuseas e vômitos provocados pela quimioterapia, dor, ansiedade e alterações de humor. Além disso, estudos tem mostrado que pacientes com câncer que recebem terapias integrativas relatam melhora nas questões psicológicas, emocionais, sensação de bem-estar geral e auxílio nos efeitos colaterais do tratamento.

Portanto, é muito importante que as pessoas informem os seus médicos sobre o tipo de terapias/dietas/suplementos/práticas complementares estão utilizando para que possam avaliar juntos quais são os benefícios e riscos de acordo com a fase do tratamento oncológico. Procurar profissionais com formação nesta abordagem da Medicina Integrativa pode auxiliar neste diálogo!

Fonte: Medicina integrativa / coordenador Paulo de Tarso Ricieri de Lima – Barueri, SP: Manole, 2015. Coleções Manuais de Especialização Einstein.

*************************************

Denise Tiemi Noguchi – médica responsável pela Equipe de Medicina Integrativa do Centro de Oncologia e Hematologia do Hospital Israelita Albert Einstein

Veja também:
Read More

Muitos pacientes com câncer estão interessados em tentar terapias alternativas que possam ajudá-los. Se o câncer o fizer sentir sem controle sobre sua saúde, tratamentos alternativos podem oferecer a sensação de recuperar este controle. Muitos tratamentos alternativos do câncer não estão provados e muitos são perigosos. Para ajudar separar a boa da má alternativa, colocamos 11 tratamentos integrativos que geralmente são seguros. Assim, existe alguma evidência que estes 11 tratamentos alternativos possam prover algum beneficio. Tratamentos alternativos não desempenham nenhum papel na cura do câncer, mas podem ajudar pacientes a conviver melhor com sinais e sintomas causados pela doença e seus tratamentos. Sinais e sintomas comuns do câncer e seu tratamento são ansiedade, fadiga, náuseas e vômitos, dores, dificuldade para dormir e estresse.

Tratamentos alternativos são suplementares aos prescritos por seu médico – não substituem os tratamentos convencionais. Um exemplo é a acupuntura que pode reduzir náusea ou dor, mas não é suficiente para substituir medicações prescritas por seu médico. Um trabalho conjunto com seu oncologista deve permitir um balanço certo entre medicamentos tradicionais e tratamentos alternativos do câncer. Abaixo alguns sinais e sintomas que podem ser aliviados.

ANSIEDADE: hipnose, massagem, meditação e técnicas de relaxamento.

FADIGA: exercícios, massagem, técnicas de relaxamento e yoga.

NÁUSEAS-VÔMITOS: acupuntura, aromaterapia, hipnose, musicoterapia.

DOR: acupuntura, aromaterapia, biofeedback, hipnose, meditação, massagem e musicoterapia.

PROBLEMAS PARA DORMIR: exercícios, técnicas de relaxamento, tai chi e yoga.

ESTRESSE: aromaterapia, exercícios, hipnose, massagem, meditação, tai chi e yoga.

 

Qual tratamento alternativo devo tentar?

Acupuntura: estudos mostraram que a acupuntura alivia náuseas causadas pela quimioterapia. Acupuntura também pode prevenir alguns tipos de dor em pacientes com câncer. Acupuntura é segura se realizada por profissional autorizado e que use agulhas descartáveis. Pergunte ao seu médico por profissionais de confiança. Acupuntura não é segura se o paciente estiver recebendo medicamentos que “afinam o sangue” ou se a contagem das células sanguíneas estiver baixa. Verifique com seu médico.

Aromaterapia: Na aromaterapia são utilizados óleos aromáticos para causar sensação de calma. Estes óleos aromáticos são aplicados na pele durante massagem ou em banhos. Os óleos podem estar levemente aquecidos para maior liberação de suas fragrâncias. Aromaterapia pode aliviar náusea, dor e estresse. Aromaterapia é segura, mas atente para possíveis reações alérgicas que possam ser causadas por estes óleos.

Biofeedback: Biofeedback permite você usa sua mente para controlar várias funções do seu corpo, como batimentos cardíacos e fluxo sanguíneo, durante a terapia biofeedback. Um terapeuta de feedback pode utilizar aparelhos para monitorar funções especificas do seu corpo como tensão muscular ou frequência cardíaca. Trabalhando com estes terapeutas você aprende a controlar estas funções.  Biofeedback é segura quando realizada por profissional qualificado e pode ajudar pessoas no controle da dor causada pelo câncer. Com a prática você será capaz de praticar o biofeedback em você mesmo. Existem programas para computadores que ensinam biofeedback.

Exercícios: Exercícios podem ajudar aos pacientes a controlar sinais e sintomas durante e após tratamento do câncer. Exercícios delicados como caminhada e natação, podem aliviar a fadiga e estresse e ajudam pacientes a dormir melhor. Os exercícios devem ser iniciados lentamente, adicionando mais exercícios à medida que você os pratica. Tenha como objetivo praticar pelo menos 30 minutos de exercícios a maioria dos dias da semana..

Hipnose: Hipnose é um estado profundo de concentração. Durante a sessão de hipnoterapia um (a) terapeuta pode hipnotizar pacientes com voz suave que ajuda a relaxar. Hipnose pode prevenir náuseas e vômitos antecipatórios que podem ocorrer se você já apresentou estes sinais e sintomas em tratamentos anteriores. Hipnose realizada por profissionais qualificados é segura. Não se esqueça de compartilhar com seu terapeuta qualquer antecedente de doença mental.

Massagem: Durante a massagem a tensão muscular e o estresse são aliviados, promovendo um relaxamento. Existem vários métodos de massagem. Pode ser leve e delicada ou pode ser profunda com maior pressão. Estudos mostram que a massagem pode ajudar no controle da dor em pacientes com câncer. Pode também aliviar ansiedade, fadiga e estresse. Massagem é segura se realizada por profissional qualificado. Muitos centros de câncer possuem profissionais aptos no seu staff. Não se submeta a massagem se a contagem dos glóbulos sanguíneos estiver baixa. Peça para o massagista evitar massagens próximas a cicatrizes cirúrgicas, áreas de tratamento radioterápico ou tumores. Se o câncer estiver nos ossos ou existirem outras doenças ósseas (como osteoporose), peça para o terapeuta usar leve pressão e não fazer uma massagem profunda.

Meditação: Estado de concentração profunda quando o paciente foca o pensamento em uma imagem, som ou ideia como um pensamento positivo A meditação é acompanhada por uma respiração profunda ou por exercícios de relaxamento. Meditação ajuda pacientes com câncer pelo alivio de ansiedade, dor e estresse. Meditação geralmente é segura. O paciente pode meditar por si mesmo por alguns minutos uma ou duas vezes ao dia ou pode receber aulas com um instrutor.

Musicoterapia: Pacientes podem ouvir músicas, tocar instrumentos, cantar ou escrever canções. Musicoterapeutas estão capacitados para encontrar suas necessidades ou ajudar pacientes a participar de um grupo especifico. Musicoterapia pode ajudar a aliviar dor e controlar náuseas e vômitos. Musicoterapia é segura e não requer nenhum talento para participar.

Técnicas de relaxamento: Técnicas de relaxamento procuram focar a atenção de pacientes para acalmar a mente e relaxar os músculos. Técnicas de relaxamento podem incluir exercícios de visualização ou relaxamento muscular progressivo. Técnicas de relaxamento podem ser benéficas para aliviar ansiedade e fadiga. Também podem ajudar pacientes a dormir melhor. Técnicas de relaxamento são seguras e você pode aprender a praticar por sua conta.

Tai chi: Tai chi é uma forma de exercícios que incorpora movimentos lentos e respiração profunda. Tai chi pode ser orientado por instrutores (as) ou você pode aprender por livros ou vídeos disponíveis. Tai chi alivia estresse e pode ajudar pacientes com dificuldade para dormir à noite. Os movimentos lentos do tai chi não requerem força muscular e podem ser facilmente adaptados às habilidades do(a)s pacientes. Não faça nenhum exercício do tai chi que lhe cause dor.

Yoga: Yoga combina exercícios de alongamento com exercícios respiratórios profundos. Durante a sessão de yoga, pacientes colocam seus corpos em várias posições – de torções, de inclinações e de alongamentos. Existem diversas variações de yoga. Yoga pode aliviar estresse de pacientes com câncer, além de melhorar o sono e reduzir a fadiga. Antes de iniciar as várias classes de yoga disponíveis, peça ao seu médico para indicar um (a) instrutor(a) para recomendar um(a) profissional que trabalhe regularmente com pacientes com câncer. Evite algumas posturas da yoga que possam causar dor.

Você pode encontrar um modo de praticar alguns tratamentos alternativos ao mesmo tempo. Por exemplo: exercícios respiratórios durante a massagem podem aliviar ainda mais o estresse.

Fonte: “Alternative cancer treatments: 11 alternative treatments to consider. Alternative cancer treatments can’t cure your cancer, but they may provide some relief from signs and symptoms. Mayo Clinic staff”

Veja também:
Read More

“Jess e Milly são melhores amigas desde a infância. Enquanto Milly se casou, teve dois filhos e construiu uma carreira de sucesso, Jess decidiu levar uma vida pacata ao lado do marido. Após se submeter a um tratamento, Jess enfim consegue engravidar. Mas a notícia vem justamente quando Milly descobre ter câncer de mama e precisa passar por quimioterapia, o que necessitará do apoio não apenas da amiga, mas de toda a família”.

Medo, receios, amor, lágrimas e esperança. O filme vai nos levar para reflexões que normalmente estamos acostumados a fugir, como por exemplo a morte.

Já Estou com Saudade apresenta claramente a falta, o vazio, antes mesmo de acontecer. E você, de quem tem saudades hoje?

Conte para nós!

Veja também:
Read More

O filme “Perfeita para Você” conta a história de Abbie e Sam, um casal “perfeito”, cheio de planos, entre eles, o casamento. Mas tudo isso muda quando Abby é diagnosticada com um câncer terminal. Com medo de deixar seu grande amor sozinho, a personagem principal decide encontrar um outro amor para Sam.

Será que isso é possível? O filme, dirigido por Stephanie Laing, acompanha a jornada deste jovem casal tentando lidar com essa nova situação. A grande questão é: será que mascarar uma dor com uma nova paixão é o melhor caminho?

Além disso, “Perfeita para Você” traz outras questões que vale destaque e reflexões; como a rotina contra a doença, o tratamento quimioterápico, as novas amizades que ela faz com outros pacientes e a participação em um grupo de apoio que a ajuda a tentar se preparar para o que está por vir.

Coloque na sua lista de atividades para o final de semana, e depois nos conte o que achou 🙂

Veja também:
Read More

Quem não gosta de um clássico do cinema, não é mesmo? Hoje coluna “Pílula de Cultura” traz o filme “Um Amor Para Recordar”, estrelado por Mandy Moore como Jamie e Shane West como Landon.

O filme retrata a história de do casal. Mas o que Landon não esperava é que viveria uma das mais lindas histórias de amor e redenção que a cidade de Beaufort, na Carolina do Norte, e o mundo jamais esquecem. Aos poucos, ele se apaixona por Jamie, que cruelmente carrega uma sentença de morte prestes a ser cumprida, uma leucemia incurável.

Se você ainda não assistiu esse filme, aproveite essa dica para conhecer essa história emocionante. E se você já viu, não custa nada relembrar. Não é mesmo?

Deixe aqui nos comentários a sua impressão sobre o filme! 🙂

#SeuEspacodeVida #EntendendoLMA #UmAmorParaRecordar #Leucemia

Veja também:
Read More

“Marley é uma jovem alegre, independente, bem-sucedida e solteira por opção. Ela leva a vida com muita leveza e humor até que uma consulta médica revela uma doença grave. Com a ajuda de um charmoso doutor, ela descobre que está pronta para amar”.

Que tal mergulhar nessa história nessa sexta-feira? Então prepare a pipoca e aperte o play.

“O amor acontece quando você menos espera”

Depois conte para nós o que achou do filme. Pronta para Amar está disponível no Netflix.

Veja também:
Read More

“A história real de Chris e Annie, amigas inseparáveis, que vivem em uma cidadezinha inglesa. Chris é integrante do Women’s Institute, uma associação nacional que congrega senhoras em torno de atividades, como feitura de doces e geléias, jardinagem ou tricô. Quando o marido de Annie morre de leucemia ela resolve se juntar ao grupo, em um movimento para ajudar o hospital local. A campanha, idealizada por Chris, consiste em fazer um calendário com uma integrante do Women’s Institute para cada mês, cada uma mostrando uma prenda de seus dotes domésticos. Uma idéia muito tradicional e familiar, não fosse por um pequeno detalhe: as mulheres devem aparecer nas fotos completamente nuas”.

O filme está disponível no Netflix. Depois conte para nós o que achou 🙂

E ótimo final de semana!

Veja também:
Read More
Skip to content