Aos 60 anos, José foi diagnosticado com câncer de próstata em fase inicial e hoje, após quase 4 anos, conta sua história de luta e superação

Quem vê o senhor José andando tranquilo, sorridente e de bom humor na pequena cidade em que vive, no interior de São Paulo, não imagina a batalha que ele enfrentou contra o câncer de próstata. Aos 64 anos, casado, com cinco filhos, e seis netos, ele abre a porta de sua vida e conta como foi sua luta contra o câncer. Emocione-se com a história de José!

“Fui diagnosticado com câncer de próstata no começo de 2012, fazendo os exames de rotina, primeiro com a alteração no Antígeno Prostático Específico – PSA. Primeiro tratei como prostatite, tomando remédio por quase 1 mês, porém não surtiu resultado, pelo contrário,  o PSA aumentou. Depois fui encaminhado para um especialista que realizou a biópsia. Sempre fiz meus exames de rotina, inclusive o PSA. Em 2012 ele alterou. Além da alteração do PSA, eu não tinha nenhum sintoma e o exame de toque não teve alteração. Lembro como se fosse hoje o dia em que o médico disse o meu diagnóstico. Estava com a minha mulher, Helena. Fiquei super nervoso, com medo de morrer. Como eu ia deixar minha companheira de anos, meus filhos e meus netos? Foi uma dor sem limite. Foi ai que resolvi ser forte e lutar para sobreviver.”

“Quando passou o desespero do diagnóstico surgiram outros medos. Fiquei preocupado de ficar com incontinência e impotente, sequelas que o médico disse que poderiam acontecer. Mas graças a Deus não teve nenhuma sequela.”

“Operei no dia 31/05/2012, na época eu estava com 60 anos. Não escondi de ninguém. Minha família se assustou muito com o diagnóstico, mas tive muito apoio e com fé e determinação, tudo ficou mais fácil. Como descobri muito no início não tive que fazer a quimioterapia. Fiz todos os exames para saber se tinha alguma metástase. Tudo negativo. Já me considero curado, só preciso fazer o acompanhamento de seis em seis meses até completar 10 anos”.

É muito difícil encontrar alguém que não conheça um homem que enfrenta o câncer de próstata. As histórias de luta estão por todos os lados: é o pai, o avô, o tio, o irmão, o marido, o cunhado, o sobrinho, o chefe ou o vizinho. Entretanto, é pouco falado devido aos tabus e medo impostos pelo próprio homem. José afirma que não tem nenhum caso de câncer de próstata na família, e ressalta que nenhum homem pode deixar sua cabeça ser dominada pelo pré-conceito. “O homem é diferente da mulher. Nós queremos mostrar toda hora nossa força e que nada nos atinge. E quando algo surge fora dos nossos planos, como o câncer de próstata, a gente percebe que não somos imortais. Então, cuide da sua saúde e vá ao médico regularmente, para assim ter uma qualidade de vida. O mais importante é ter muita fé em Deus, se apoiar na família e sempre fazer os exames, não ter medo de ir ao médico. Temos que nos cuidar.”

Prestes a completar 64 anos, em dezembro, José conta que uma de suas maiores dificuldades foi parar de trabalhar por um período. “Sempre fui muito trabalhador, gosto do que faço que é administrar. Só parei de trabalhar quando fiz a cirurgia , assim que o médico me liberou, voltei ao trabalho. Ficar 3 meses parado não foi fácil, mas os netos me ajudavam a distrair a mente e o corpo.”

Quando perguntei se algo tinha mudado nele depois do diagnóstico do câncer de próstata, José foi firme ao dizer que continua o mesmo. “Sou sério quando preciso ser e muito engraçado nos momentos de lazer e festas. Amo brincar com os meus 6 netinhos. Eles são minha alegria! E ainda vou ganhar mais dois netinhos o mês que vem”, emociona-se ao lembrar da família.

“É muito importante que todos os homens a partir dos 45 anos façam os exames de PSA e de toque anualmente ou sempre que solicitado pelo médico. Eu indico para todos os homens! É muito rápido e indolor, e pode salvar sua vida. Acho muito importante, também, cuidar da sua saúde e ir ao médico regularmente, é essencial para ter uma qualidade de vida. E jamais perca sua fé em Deus”.

Não deixe que o câncer de próstata se torne seu inimigo silencioso. A informação é o grande aliado do paciente com câncer. Procure, pesquise, pergunte, e não deixe o achismo e o medo dominar sua cabeça. Tem dúvidas? Marque uma consulta com seu médico. Uma pessoa bem informada e atualizada sobre os cuidados com a saúde, tem mais chances de cura, caso venha a ser diagnosticada com câncer.  Por isso, pense bem! Deixe o medo de lado e priorize a saúde!

Dados
De acordo com a American Cancer Society’s, cerca de 220,800 pessoas serão diagnosticadas com câncer de próstata no mundo até o final de 2015. No Brasil, serão cerca de 68.800 novos casos. O câncer de próstata atinge, principalmente, os homens mais velhos, com 65 anos ou mais. É raro um homem ser diagnosticado antes dos 40 anos. O câncer de próstata pode ser uma doença grave, mas a maioria dos homens diagnosticados com câncer de próstata não morre da doença. Ele é a segunda principal causa de morte, por câncer, em homens americanos, atrás de câncer de pulmão somente.

  • Pode me chamar de Ju. Jornalista, paulistana nata e balzaquiana. Apaixonada pelo comportamento humano e não dispenso um abraço demorado. Acho que toda história (boa ou não) merece ser contada. Amorosa, sonhadora e chorona. Quer me ganhar? Basta falar sobre o amor.

Veja também: