Tópicos de Saúde

Grau do Câncer de Mama

Tamanho da letra

Diminuir fonte Aumentar fonte

Um patologista atribui, ainda, um grau para o câncer, com base no grau de semelhança da amostra de biópsia com tecido mamário normal. O grau ajuda a prever o prognóstico da paciente. Em geral, um grau de numeração mais baixa indica câncer de crescimento mais lento e com menor probabilidade de disseminação, ao passo que uma numeração mais elevada indica câncer de crescimento mais rápido e maior probabilidade de disseminação.

A classificação histológica do tumor (às vezes chamada classificação de Bloom-Richardson, classificação de Scarff-Bloom-Richardson ou classificação de Elston-Ellis) é baseada no arranjo das células em relação umas às outras. se elas formam túbulos; o quanto elas se assemelham a células mamárias normais (classificação nuclear); e quantas das células cancerosas encontram-se em processo de divisão (contagem mitótica). Esse sistema de classificação é utilizado para cânceres invasivos, mas não para cânceres in situ.

  • Grau 1 (bem diferenciados) cânceres com células de aparência relativamente normal que não parecem estar crescendo rapidamente e encontram-se organizadas em pequenos túbulos.
  • Grau 2 (moderadamente diferenciados) cânceres com características intermediárias entre os graus 1 e 3.
  • Grau 3 (pouco diferenciados) cânceres, o grau mais elevado, sem características de normalidade e que tendem a crescer e se disseminar de modo mais agressivo.

O grau do tumor é mais importante em pacientes com tumores pequenos sem comprometimento de linfonodos. Pacientes com tumores pequenos e bem diferenciados podem não requerer nenhum tratamento adicional após a remoção do tumor, enquanto pacientes com tumores moderadamente ou pouco diferenciados costumam receber hormonoterapia ou quimioterapia adicional.

O carcinoma ductal in situ (CDIS) às vezes recebe uma classificação nuclear, que descreve o quão anormal as células cancerosas aparentam ser. A presença ou ausência de necrose (áreas de células cancerosas mortas ou em degeneração), que pode indicar um câncer mais agressivo, também é observada. Outros fatores importantes na determinação do prognóstico do CDIS incluem a margem cirúrgica (proximidade do câncer em relação aos limites da amostra de lumpectomia) e o tamanho (quantidade de tecido mamário afetado pelo CDIS). Cânceres in situ com grau nuclear elevado, necrose, câncer na borda ou nas proximidades da borda da amostra de lumpectomia e áreas maiores de CDIS têm maior probabilidade de voltar após a lumpectomia.



COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Indique esta página Imprimir Voltar Topo