Recomeçar

Recomeçar

Depois de todo processo oncológico, há uma espécie de excitação para voltar à vida. Mas e quando a vida não está bem definida, o que você faz?

 

Vencer o câncer é o único objetivo que se tem em mente do momento que recebe o diagnóstico até o último dia de tratamento – mas as mudanças na vida são tantas ao longo de todo o processo, que quando tudo isso acaba fica um sentimento de: IUPI!! VENCEMOS! ... Mas e agora?

Ansiedade, dores, medos, revolta, tratamento, mais ansiedade, e tudo isso influenciou sua rotina, sua vida, a vida de sua família.  Muitas vezes você perdeu sua autonomia, dependeu das pessoas, chorou, aprendeu... mas agora que você venceu o câncer, o que pretende fazer?

O diagnóstico de câncer normalmente implica que a pessoa abandone sua vida rotineira com trabalho, lazer, rotinas diárias e se dedique ao tratamento que pode ser longo e debilitante.

Sempre é recomendável que o paciente tente manter o máximo de sua rotina, exatamente porque é a rotina, são nossos afazeres que nos trazem sentimentos de autoestima, autoconfiança, realização, reconhecimento, satisfação pessoal e profissional, etc etc.

O trabalho, os cuidados com os filhos, a comida, o mercado, as contas para pagar, são esses itens que fazem com que nós adultos, tenhamos objetivos para a vida.  E quando enfrentamos uma doença, é normal que nos afastemos de alguns desses quesitos, seja por proteção de nossa família que nos afasta, seja por estarmos debilitados e não conseguirmos ter a mesma produtividade e envolvimento.

Entretanto, esse afastamento que é muitas vezes necessário e positivo, nos traz uma consequência negativa que é nos afastar também do que essas coisas nos trazem.

Por exemplo: embora o cuidado com a família seja desgastante, é extremamente satisfatório ouvir um elogio por uma comida feita com amor e dedicação.  Pagar a escola dos filhos, escolher os itens no mercado, ter sucesso num projeto no trabalho, receber um elogio por uma ideia que deu certo... quando nos afastamos das obrigações, também nos afastamos do bom resultado que elas nos trazem.  E todos nós precisamos desse reconhecimento do outro, e do sentimento de que somos capazes de construir coisas, de produzir algo.

Agora que tudo o que lhe impedia de obter essas realizações já acabou, é hora de começar a se planejar para obtê-las novamente.

Não é tão fácil as vezes, é verdade... mas é preciso iniciar.  Então vamos a três passos que você pode seguir sempre que se sentir meio perdido sobre o que fazer:

 

1.      Qual seu objetivo de vida agora?

Sabemos que depois de passar por tudo isso você não é mais a mesma pessoa, alguns valores mudaram, algumas relações melhoraram ou não, enfim, agora é um momento de repensar o que você quer para sua vida: por qual motivo você levantará da cama todos os dias?

 

2.      Tendo em vista esse novo objetivo, o que você precisa fazer para conquistá-lo?

Sim, para novos objetivos você precisará de novas ações.  Vai continuar no mesmo trabalho, ele te satisfaz? Vai continuar com as mesmas atividades para lazer, rotinas com a família e amigos, ou pretende mudar algumas coisas?  Você passou por tantas coisas, que mudanças para o positivo não irão te afetar tanto quanto as mudanças que sua vida já sofreu com a doença.  Tenha coragem e mude sua rotina para conquistar aquilo que deseja: comece um novo curso profissionalizante, faça novos amigos, dê mais atenção para os velhos companheiros.

 

3.      O que você imaginou realmente está te trazendo satisfação?

Muitas vezes nós idealizamos algumas situações que, quando colocadas em prática, não dão muito certo, então é sempre importante reavaliar nossas ações e nossa vida.  Caso não esteja dando certo, é hora de pensar no que você vai precisar fazer de diferente para conquistar aquilo que deseja.

 

Esses três princípios devem servir para tudo: retomar o trabalho e os estudos, ou conquistar um novo; retomar as responsabilidades da casa; assumir novas responsabilidades na família... será necessário que você perceba que se fizer sempre as mesmas coisas, terá sempre os mesmos resultados.

Aproveite essa fase de renovação, de reconstrução de sua vida e suas rotinas para se permitir a experimentar coisas novas e suas consequências.

 

Porque o ditado popular já diz:

O que a gente leva na vida

É exatamente a vida que a gente leva!

 

Então é uma opção sua:  vai levar que tipo de vida a partir de agora?

Erika Scandalo

Erika Scandalo

Especialista em Psicologia Clínica, escreve sobre a vida e diferentes formas de aproveitá-la.  Acredita que a felicidade é consequência de uma visão proativa sobre as dificuldades.  Ser feliz é mais um olhar sobre o que se tem, do que ter tudo o que se quer. Site: www.erikascandalo.com.br

  • IKCC - International Kidney Cancer Coalition
  • World Ovarian Cancer Day
  • WAPO - World Alliance of Pituitary Organizations
  • The Carcinoid Cancer Foundation
  • Alianza GIST
  • The Life Raft Group

Faça parte Novidades

Temos muitas coisas para compartilhar com você.
Lembre-se: você não está sozinho!

Digite o email corretamente

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso. Obrigado!

Indique este site

Indicação realizada com sucesso!

Seja parceiro

Mensagem enviada com sucesso!

Seja voluntário

Mensagem enviada com sucesso!

Envie seu depoimento

Depoimento enviado com sucesso!