Câncer de Pele: Melanoma e Não Melanoma

Câncer de Pele: Melanoma e Não Melanoma

O câncer de pele é um dos tipos mais comuns de câncer. Estima-se que mais de dois milhões de pessoas são diagnosticadas com câncer de pele todos os anos.

Existem dois tipos principais de câncer de pele. O primeiro é o câncer que surge das células mais comuns da pele, conhecidas como queratinócitos. Estes cânceres são divididos entre basocelulares e carcinomas escamosos (ou escamo celulares). O segundo tipo de câncer tem origem nas células que fabricam o pigmento escuro da pele, a melanina. As células produzem a melanina é chamada de melanócito e o câncer originário desta célula é conhecido como melanoma.

Na imagem acima observamos uma representação das várias camadas da pele e a localização dos vasos sanguíneos, pelos e nervos dentro delas (à direita). Na imagem a esquerda observamos em aumento o encontro das duas camadas superficiais da pele, assim como suas células, a célula basal, a célula escamosa e o melanócito.

O principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele (dos três tipos) é a exposição ao Sol. Os raios solares, através das radiações UVA e UVB, são capazes de causar defeitos no DNA das células da pele. Ao longo de muitos anos de exposição esses defeitos podem se acumular, transformando essas células em células cancerígenas.  Quanto mais sol a pessoa toma ao longo da vida, maior é a chance de desenvolver um câncer de pele.

Na foto acima vemos o rosto de um homem que trabalhou como motorista por muitos anos. Observa-se claramente o envelhecimento da pele mais marcado do lado esquerdo do rosto, parte que recebeu mais sol ao longo da vida (que entrava pela janela do carro deste lado).

Logicamente, os locais mais comuns para o aparecimento dos cânceres de pele são as áreas do corpo que recebem mais radiação solar como o rosto, pescoço, cabeça (principalmente em homens com pouco cabelo ou carecas), mãos, braços e pernas (principalmente em mulheres).

A exposição mais perigosa ao Sol é aquela que acontece quando somos crianças, e a pele é mais frágil que a do adulto. Outra exposição solar perigosa é a que acontece, por exemplo, em pessoas que vão à praia no fim de semana sem protetor solar. Essas pessoas recebem muita radiação de uma só vez, provocando queimaduras e lesões na pele. Depois disso se protegem do Sol até melhorar e voltam a se expor quando a pele cicatriza. É o que chamamos de exposição em alta dose intermitente, o que aumenta muito o risco de câncer de pele.

E bronzeamento artificial, tem problema? As máquinas de bronzeamento artificial emitem altas doses de radiação UV, é como pegar Sol de maneira concentrada. São tão, ou mais, perigosas que se expor ao Sol. Esses equipamentos são proibidos em diversos países do mundo.

O que fazer para se proteger então?

Existem medidas simples para evitar o envelhecimento precoce da pele e o câncer de pele.

1.       Evitar se expor ao Sol nos horários onde há maior radiação UV (entre 10h da manhã e 4h da tarde).

2.       Sempre usar protetor solar compatível com seu tipo de pele e reaplicar frequentemente.

3.       Usar chapéus, bonés, óculos escuros.

4.       As camisas com proteção solar UV são uma boa opção para evitar danos na pele, em particular em crianças.

 

Dr. Felipe Ades

Dr. Felipe Ades

Felipe Ades é médico formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com especialidade em Oncologia Clinica pelo Instituto Nacional de Câncer (INCa). Passou 5 anos na Europa onde adquiriu os títulos de mestre no Institut Gustave Roussy em Paris e doutor (PhD) no Institut Jules Bordet em Bruxelas. Trabalhou em diversos aspectos da pesquisa em câncer, desde estudos em laboratório, testes de novos medicamentos com pacientes e políticas de saúde e saúde coletiva em câncer. Atualmente trabalha no Hospital Alemão Oswaldo Cruz e no Centro Paulista de Oncologia, em São Paulo. Nas horas vagas é mountain biker e guitarrista amador e aspirante a alpinista. Website: drfelipeades.com

  • IKCC - International Kidney Cancer Coalition
  • World Ovarian Cancer Day
  • WAPO - World Alliance of Pituitary Organizations
  • The Carcinoid Cancer Foundation
  • Alianza GIST
  • The Life Raft Group

Faça parte Novidades

Temos muitas coisas para compartilhar com você.
Lembre-se: você não está sozinho!

Digite o email corretamente

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso. Obrigado!

Indique este site

Indicação realizada com sucesso!

Seja parceiro

Mensagem enviada com sucesso!

Seja voluntário

Mensagem enviada com sucesso!

Envie seu depoimento

Depoimento enviado com sucesso!